GRAMINMinistériosProjetosNo AmazonasMuralParticipar
Mural
Testemunho de Pr Kim, artigo 2
관리자 2020-08-25 15:28:17

2. No mais belo jardim.
 

A selva vista da janela do avião, com exuberantes picos de árvores entrelaçados, era como um tapete verde sem fim. A imagem do Rio Amazonas, um imenso rio formado pelos seus afluentes que correm entre essas árvores, correndo pelo seu leito era algo espetacular. Essa visão me dominou e fiquei maravilhado com a grandeza de Deus.
 

A Amazônia, também chamada de ‘Inferno Verde’ (Green Hell) pelos norte-americanos, é um Belo Inferno

Os intensos raios solares equatoriais, onde a temperatura oscila entre 30o a 40o graus o ano todo, são assustadores, contudo a chuva cai com frequencia na selva da Amazônia. Por isso, a umidade de dia é 80% e a noite sobe até 90%. Devido a essa alta taxa de umidade, o mofo floresce em todos os cantos da casa e provoca cansaço nas pessoas.
 

Diariamente os limites da paciência são testados pelos insetos que picam o corpo todo desde o alvorecer. De manhã cedo, o inseto chamado ‘Maruim’, invisível aos olhos, vem presentear com sua picada. Apesar de invisível aos olhos, percebe-se sua presença pelo zumbido das suas asas. Sua picada causa uma coceira irritante. Uma hora depois que o sol nasceu, é a vez do ‘Pium’ e do ‘Mutuca’. Pium é um inseto preto e muito pequeno, sua picada produz um inchaço local com um ponto vermelho no centro. Já o mutuca costuma furar o tecido da calça, tecidos mais fino do que jeans, e sua picada produz uma ferida grande. O ‘Micuim’, que vive na grama, também invisível aos olhos, costuma subir pelo calçado e se aloja por uma semana na região da virilha, onde a pele é mais macia. Durante esse período, pontos vermelhos surgem na região causando muita coceira. A coceira é tamanha que pode coçar até sangrar que a coceira não passa. E ao cair da noite, o maruim volta a atacar. Depois, a noite, diversos tipos de mosquitos fazem a festa. São mosquitos que transmitem a doença da dengue, malária, entre outras. E tem também diversas formigas e aranhas venenosas, e abelhas.
 

O calor infernal e a chuva forte, a alta humidade e imensa variedade de insetos venenosos são uma maneira de Deus proteger a Amazônia, onde só há duas estações: estação da chuva e da seca. Nesta selva completamente limpa e sem poluição, vivem em harmonia anacondas, capazes de engolir um homem inteiro, diversas espécies de cobras, jacarés, e animais selvagens, como a onça que ataca o homem quando faminta. A Amazônia, chamada de Pulmão da Terra, teria sido danificada há muito tempo se não fosse por este ambiente hostil. No entanto, estes ambientes da Amazônia continuam a ser o mais belo jardim do mundo, guardando o mistério da criação do mundo.

A Amazônia não é um ambiente bom para o homem morar. Porém é um lugar onde se pode clamar pela ajuda de Deus e ter experiências com Ele por meio das inúmeras más condições. É um lugar (onde todo dia renovo os votos que fiz no início da caminhada) onde a adaptação nunca termina, é renovada diariamente, e onde o coração foca em Deus pois por mais tempo que se viva aqui o ambiente continuará a ser hostil ao homem.
 

Quando cheguei na Amazônia, eu era muito soberbo. Aprender o idioma brasileiro (português) nos dez meses em que fiquei em São Paulo não foi difícil pois era fluente em inglês, aprendido nos três anos em que servi no exército, na unidade KATUSA. Ao entrar na Amazônia, não era fluente mas era possível pregar e dar aulas de teologia. Por ser magro, não sentia muito calor e tinha a certeza de que poderia comer qualquer tipo de comida. Logo que cheguei na Amazônia, o missionário senior me convidou para fazer uma visita pelas diversas comunidades indígenas da vizinhança. Eu, feliz e confiante, vesti logo a bermuda e embarquei na viagem. Porém, quando chegamos às margens do rio, fui picado em ambas as pernas por insetos venenosos. A sensação era que minhas pernas estavam em chamas. A dor era tão forte que parecia que ia morrer. Depois dessa viagem, fiquei de cama vencido pelo calor. Foi nesse momento que percebi o quanto havia sido orgulhoso, prepotente ao pisar nas terras da Amazônia e derramei lágrimas de arrependimento. Assim como apóstolo Paulo confessou na Carta aos Filipenses cap.4 versículo 13, dizendo que não era capaz de fazer nada, mas que podia fazer qualquer coisa por meio da força dada por Cristo, todos os dias faço a seguinte oração, ‘SENHOR, faça com que eu viva o dia de hoje com a Sua ajuda’, buscando a ajuda de Deus.
 

이름   비밀번호

비밀
Login | Join | Site-map
Copyright (c) GRAMIN(포) All rights reserved.