Rio Amazonas está situado no centro de América do Sul, dois graus de latitude norte e 5 graus de latitude sul do equador. Aproximadamente 40% do continente Sul Americano é a área do percurso deste rio que está coberto por florestas. Além do Brasil que possui a maior parte do Amazonas, a Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Guiana Inglesa, Peru, Suriname e Venezuela, cada uma delas possuem em pequena escala uma parte do rio Amazonas. A área deste rio é de 3581 Km2 equivalendo 42% do território brasileiro
 
 
O clima é equatorial, muito quente, alta umidade com 2.500mm de volume de chuva anual e quase não há mudança de estações. O volume de água deste rio pertence a 20% da água doce do mundo e a floresta tem aproximadamente 30% de toda vegetação do mundo. Além disso, 20% do oxigênio do mundo é produzido aqui. Pode-se dizer que é um paraíso da fauna e flora, também há muitos insetos que dificultam a habitação humana. Nos últimos 10 anos, o desmatamento do Amazonas produziu um grave problema ecológico.
 
O Rio Amazonas começa com o Rio Negro na Venezuela (Guiana) e chega ao Brasil juntando-se com o rio Solimões, a partir desse ponto o nome do rio é mudado para Rio Amazonas. Chama-se Rio Negro pela cor que este possui. Este rio atravessa as fronteiras do Brasil, Colômbia e Venezuela. No Brasil existem aproximadamente 240 aldeias indígenas, com quase 50 aldeias intactas com o contato da civilização moderna. (Núcleo de Cultura Indígena 1996:6).
 
A área do rio negro é rica em ouro e minerais. Mas o solo é infértil pela enorme quantidade de substâncias ácidas e pela cor negra dificulta a alimentação dos residentes locais, pois não há peixes em abundância. Pelas características péssimas citadas acima, os brasileiros não costumam habitar ao redor do rio. A distância entre São Paulo (maior cidade do Brasil) e Manaus é de 4.500 Km, 4 horas de vôo. A distância entre Manaus e São Gabriel é de aproximadamente 900 Km e com 2 horas e 30 minutos de vôo num avião pequeno.